Argumentação em Contexto Escolar: Relatos de pesquisa

Autores: Elaine Mateus; Fernanda Liberali; Maria Cristina Damianovic; Mônica Guerra.

Editora: Pontes

Sinopse: A discussão da argumentação em contextos escolares tem mobilizado inúmeras pesquisas nos diversos espaços educacionais. A obra Argumentação em Contexto Escolar: Relatos de Pesquisa expande essa temática, ao apresentar estudos voltados à caracterização e compreensão dos processos argumentativos como prática transformadora. As investigações aqui apresentadas focalizam aspectos teórico-práticos de experiências diversas vividas em sala de aula, na formação de educadores e na produção de material didático, por exemplo. Os capítulos oferecem ao leitor rico diálogo com pesquisas científicas que se debruçam sobre contextos educacionais, de modo a discutir, caracterizar e refletir sobre o papel da argumentação no desenvolvimento dos sujeitos.

Mosaico de si: experiências, narrativas e formação no estágio

Autores: Arlete Vieira da Silva.

Editora: CRV

Sinopse: Trata-se de uma análise das implicações de experiências narradas em ‘memoriais de formação’ do percurso de formação de estudantes- estagiários. A narrativa autobiográfica foi concebida como dispositivo de pesquisa-formação e o estágio entrelugar de iniciação à docência. Num ateliê biográfico, articulado em eixos temáticos, os estudantes-.,estagiários revisitaram suas experiências escolares até a formação inicial. A narrativa, fundada na dimensão autopoiética, oportunizou que os autores-escritores fossem apreendendo sentido às experiências e ressignificando a representação de si.  Logo, o estágio configurou-se, como experiência formadora articuladora de reflexão e aprendizagens acerca da docência, no movimento da escrita e lugar aprendente da formação de professores.

Spice Up Your English With Collocations

Autores: Adriana Fiori Souza; Adriana C. S. Maciel; Isadora T. Marques; Monica N. Gôngora; Sílvia H. O. Flores.

Editora: Disal Editora

Sinopse: SPICE UP YOUR ENGLISH WITH COLLOCATIONS adota uma abordagem lexical para o ensino e aprendizagem de inglês. Seu objetivo principal é promover o desenvolvimento da habilidade oral a partir da apresentação e prática de collocations, i.e., duas ou mais palavras que se associam frequentemente (fast food; a quick meal; heavy rain, etc.). Apresenta doze unidades e pode ser utilizado como material central em sala de aula, como material de apoio em situações variadas de ensino e aprendizagem, ou como material para estudo individual (self-study). Destina-se a jovens e adultos que possuem um nível intermediário de proficiência na língua.

Razão Sensível e Complexidade na Formação de Professores

Autores:  Marilza Vanessa Rosa Suanno; Carla Conti de Freitas (orgs).

Editora: UEG

Sinopse: Esta obra escrita por várias mãos traz as experiências de sentir-pensar que vivemos no decorrer dos dois anos da primeira turma do curso de pós-graduação Lato SensuTransdisciplinaridade e Interdisciplinaridade na Educação, realizado na Universidade Estadual de Goiás, Câmpus Inhumas. Cada capítulo apresenta um estudo sobre aquilo que os autores realizaram como professores, motivados pela temática de cada eixo do currículo do referido curso, como linguagem, diversidade, cultura, entre outros, relacionados à formação de professores. Com esta obra, esperamos inspirar e motivar outras pessoas envolvidas com a docência.

English in Brazil: views, policies and programs

Autores:  Kyria Finardi

Editora:

Sinopse: O livro aborda o papel do Inglês no Brasil. Alguns dos temas discutidos no livro são o impacto da globalização; as noções de poder em relação às políticas linguísticas; a noção de autonomia e identidades fluidas e híbridas; o panorma histórico do ensino de línguas estrangeiras no Brasil; o programa Idiomas sem Fronteiras (IsF); a produção de materiais didáticos e a autonomia proporcionada pelo IsF; o Programa Nacional do Livro Didático; as tensões nos discursos associados à internacionalização e à visão do Inglês como língua franca e no ensino superior brasileiro por meio do ensino em Inglês (English Medium ofInstruction).

Complexidade em Ambientes de Ensino e de Aprendizagem de Línguas Adicionais

Autores: Walkyria Magno (UFPA); Elaine Borges (UEPG).

Editora: CRV

Sinopse: Complexidade em Ambientes de Ensino e de Aprendizagem de Línguas Adicionais, organizado pelas professoras Walkyria Magno (UFPA) e Elaine Borges (UEPG), visa divulgar implicações do paradigma da complexidade no ensino e aprendizagem de línguas adicionais. Utilizando a concepção inovadora da aprendizagem de línguas como sistema adaptativo complexo (SAC), os capítulos procuram elucidar fenômenos que, de outra forma, apresentam-se de difícil compreensão. Ainda, traz um capítulo, inédito em língua portuguesa para a área, com conceitos-chave em sistemas caóticos. Destina-se a alunos de graduação de Letras, pós-graduandos e professores que desejem obter ou aprofundar uma compreensão de sala de aula co mo SAC.

Tensões e Desestabilizaçãoes na formação de professoras/es de Inglês

Autores: Rosane Rocha Pessoa; Eliane Carolina de Oliveira.

Editora: UFG

Sinopse: O livro “Tensões e desestabilizações na formação de professoras/es de inglês”, organizado por Rosane Rocha Pessoa e Eliane Carolina de Oliveria, é fruto das reflexões advindas do “Curso de Formação Continuada de Professoras/es de Inglês como Língua Estrangeira/Adicional: UFG”, vinculado à “Rede Nacional de Formação de Professores da Educação Básica: Línguas Estrangeiras/Adicionais – Etapa Inglês”. Nos sete capítulos que compõem o livro, as/os autoras/es – coordenadoras e professoras/es formadoras/es – analisam suas experiências no curso, envolvendo tensões e desestabilizações. Além de tensões como a falta de articulação entre os entes federativos, os capítulos mostram que muitas/os das/os professoras/es que terminaram o curso estavam ali não para receber formação, mas para reivindicá-la (Rich, 1977). Essa foi a nossa motivação para organizar o livro.

Experiências Didáticas no Ensino-Aprendizagem de Lingua Inglesa em Contextos Diversos

Autores: Rosinda de Castro Guerra Ramos; Solange Terezinha Ricardo de Castro; Silvia Matravolgyi Damião.

Editora: Mercado de Letras

Sinopse: Esta publicação reúne investigações sobre experiências em ensino-aprendizagem de língua inglesa realizadas por professores-pesquisadores. Os artigos foram agrupados de forma a privilegiar as experiências didáticas em contextos variados, que vão desde os cursos de Letras, passando por cursos de línguas online e presenciais, cursos de línguas para fins específicos, até cursos de extensão. Tais experiências englobam as seguintes áreas: formação de professores em e pré-serviço; uso de tecnologia em diversos contextos educacionais; e gêneros. Estes relatos não esgotam as experiências desenvolvidas Brasil afora. É importante que, cada vez mais, experiências tão distintas como as relatadas nesta coletânea sejam divulgadas.

Didática da Língua Espanhola no Ensino Médio

Autores: Ligia Paula Couto.

Editora: Cortez

Sinopse: Nos dias atuais, o número de falantes de língua espanhola vem aumentando consideravelmente em diversos países, especialmente no Brasil. Com base nessa realidade, o objetivo deste livro é servir como material de apoio aos professores de Espanhol, para que formem alunos reflexivos e conscientes de seu lugar na sociedade a partir da aquisição de outro idioma. Nesta obra, são apresentados documentos oficiais, práticas pedagógicas ministradas em sala de aula, bem como aspectos culturais e sociais e suas diferenças regionais, entre outros exemplos. Em alguns capítulos, há também algumas sugestões de exercícios, visando enriquecer o processo ensino-aprendizagem.

Construções Identitárias de Professores de Línguas

Autores: Maria Cristina Faria Daiacorte Ferreira; Carla Lynn Reichmann; Tania Regina de Souza Romero.

Editora: Pontes

Editora: 

Sinopse: Esta coletânea oferece um panorama das mesas redondas do V CLAFPL, evento organizado pelo Grupo de Trabalho Formação de Educadores na Linguística Aplicada, ligado à ANPOLL (Associação Nacional de Pós Graduação em Letras e Linguística). Os capítulos trazem o estado da arte de questões que permeiam o tema do evento, título da obra. Enfoca-se, portanto, a fabricação da identidade docente, a parceria universidade-escola, práticas de letramento informacional digital, a formação docente ante o desafio do programa Inglês sem Fronteiras, os processos de ensino-aprendizagem do Português como Língua Estrangeira, e a formação do professor de língua estrangeira no processo de internacionalização.

Ensino-aprendizagem de inglês e espanhol no Brasil: práticas, desafios e perspectivas.

Autores: Juliana Reichert Assunção Tonelli e Fátima Cabral Bruno (organizadoras).

Editora: Pontes

Sinopse: A coletânea “Ensino-aprendizagem de Inglês e Espanhol no Brasil: práticas, desafios e perspectivas” apresenta trabalhos que se concentram em duas línguas de suma importância para a sociedade brasileira – inglês e espanhol e traz à tona preocupações de pesquisadores em três campos: a formação de professores, a educação inclusiva de pessoas com necessidades especiais e o uso de tecnologias. As organizadoras reuniram pesquisadores de diferentes estados do Brasil para contribuírem com textos que possam subsidiar as reflexões daqueles que, como nós, se ocupam destas questões e desejam avançar nas discussões que, em alguma medida, envolvem professores- pesquisadores do ensino superior e da educação básica.

Letramentos e Práticas Formativas: pesquisas tecidas nas entrelinhas do ISD

Autores: Regina Pereira, Betânia Medrado e Carla Reichmann.

Editora: UFPB

Sinopse: Como a imagem da capa sugere, neste livro foram tecidas pesquisas que, nas entrelinhas do Interacionismo Sociodiscursivo (ISD), levaram em conta a complexa trama posta em cena por práticas letradas e formativas e que dialogam com o  lugar social que ocupamos como Linguistas Aplicados no contexto brasileiro de ensino e pesquisa. A coletânea traz onze textos resultantes de pesquisas de iniciação científica, mestrado e doutorado realizadas no âmbito do Grupo de Estudos em Letramentos, Trabalho e Interação (GELIT/UFPB) e uma entrevista inédita com o Prof. Jean-Paul Bronckart.

Ensinando e Aprendendo – Crenças em LA

Autores: Maria Tereza Nunes Marchesan; Ana Nelcinda Gardia Vieira; Andriza Pujel de Ávila; Analúcia Cheloti Prochnow (Orgs.).

Editora: Pontes

Sinopse: Neste livro, – Ensinando e Aprendendo – Crenças em LA, reunimos trabalhos que refletem caminhadas e interesses atuais do grupo de pesquisa do Centro de Ensino e Pesquisa em Línguas Instrumentais (CEPESLI). Apostamos na importância da compreensão das crenças no complexo sistema de relações que se estabelecem nos mais diferentes contextos de ensino como um dos caminhos para a melhoria da Educação no Brasil. Por isso, gostaríamos que os trabalhos aqui reunidos refletissem essa preocupação do grupo de pesquisa e formação do Cepesli, bem como nosso reconhecimento pela produção teórica brasileira sobre o tema, e da Linguística Aplicada, de modo mais amplo.

Internacionalização do Currículo

Autores: José Marcelo Freitas de Luna (orgs).

Editora: Pontes

Sinopse: Esta obra destina-se a pesquisadores e alunos, a professores e gestores de escolas e universidades, bem como a todos os profissionais interessados na internacionalização do currículo – IoC sob a perspectiva da educação intercultural. Pelos referenciais das duas áreas, o leitor poderá descrever e explicar as razões pelas quais  escola em geral repercute políticas homogeneizadoras pela lógica da monocultura do saber.  Conceber assim – assumirá o leitor – é simpatizar com o argumento de que a IoC e a educação intercultural tratam convergentemente de atividades intelectuais que questionam a monocultura do saber, pela curiosidade em torno dos paradigmas ausentes, bem como pela identificação dos paradigmas emergentes e de suas possibilidades como subsídios ao currículo.

Práticas de Escrita na Formação de Professores

Autores: Ana Lúcia Guedes-Pinto

Editora: Mercado de Letras

Sinopse: Este livro tem a finalidade de apresentar contribuições ao trabalho de formação de professores no âmbito da educação superior. Por meio da análise de textos produzidos pelos estudantes (estagiários) nas disciplinas do eixo teórico-prático de um curso de licenciatura em Pedagogia, deparamos com indícios do processo de compreensão e de apropriação do trabalho docente. As práticas de escrita propostas e vividas na dinâmica das aulas dos cursos diurno e noturno são focadas como um recurso imprescindível no trabalho de formação profissional do professor. Assumimos como referência teórica a corrente da História Cultural e as ciências da linguagem, tendo em vista a perspectiva de Bakhtin e também dos estudos de Letramento e da Linguística Textual. O ensino é entendido como uma prática sociocultural que se constitui ao longo da história humana e é tomado como um dos elementos centrais constitutivos do trabalho docente.

Letras e Letramentos – Escrita Situada, Identidade e Trabalho Docente no Estágio Supervisionado

Autores: Carla Lynn Reichmann

Editora: Mercado de Letras

Sinopse: O livro que ora apresento não é só relevante para a Licenciatura objeto da experiência e investigação, mas para toda licenciatura cujo objetivo seja formar o professor de língua, materna ou estrangeira. A autora acredita na necessidade de construir uma visão mais integrada do processo de ensino-aprendizagem de línguas e, por isso, este livro pode também ser lido como um passo na direção da construção de pontes epistemológicas entre as disciplinas específicas e pedagógicas dos cursos de Letras e as disciplinas de Línguas Modernas que propiciem um trabalho colaborativo, abrangente, favorecedor de parcerias colaborativas entre pesquisadores e professores em formação. […] Com o objetivo de narrar uma das possibilidades de atuação do professor iniciante e de vivenciar suas concepções via escrita, a autora oferece a colegas formadores de professores, a programas de formação governamentais, a professores colaboradores em formação continuada, aos próprios estagiários – ou professores iniciantes – uma análise de gêneros formativos experimentais e de textos escritos por estagiários em eventos de letramento acadêmico-profissional que, além de se tornarem exemplos – a serem seguidos ou evitados nas disciplinas de estágio – mostram que, como a autora propõe, encontramos na linguagem do estagiário o “caminho das pedras” para o “caminho das letras”. (Angela B. Kleiman)

Retratos de Cursos de Licenciatura em Letras/Português-Espanhol

Autores: Antonio Ferreira da Silva Júnior; Raquel de Castro dos Santos (Orgs.).

Editora: Appris.

Sinopse: Este livro apresenta caráter original por trazer à baila uma análise de um dos primeiros projetos de curso de Letras (Português-Espanhol) do país em universidade pública e, por outro lado, também apresentar uma leitura de projetos mais recentes, ofertados por Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, instituições que possibilitaram uma nova configuração da educação superior em nosso país a partir do ano de 2008. O livro reúne 7 artigos com base em pesquisa bibliográfica, documental e qualitativa, que tratam da história, legislação e de projetos pedagógicos. Os autores trazem um panorama da prática profissional dos professores, “retratando” suas visões, valores, convicções e anseios relativos à sua atuação pedagógica, o que permite que se tenha uma visão mais ampla do processo de ensino-aprendizagem. A ênfase na abordagem do ensino de Espanhol no Brasil dá um tom especial à obra, principalmente, porque sendo um tema relativamente novo, marca sua importância no contexto dos estudos do ensino das línguas estrangeiras. A importância deste livro provem da variedade de focos sobre o tema da formação de professores, a fim de fomentar a reflexão e a percepção de caminhos traçados, e de propor retratos e trajetos futuros.

Letramentos, crenças de aprendizagem de línguas e inclusão social

Autores: Mariney Pereira Conceição.

Editora: Pontes.

Sinopse: Me senti honrado com o convite para elaborar o prefácio deste livro que me oportunizou a possibilidade de ler artigos e aprender mais sobre questões tão caras à contemporaneidade. O tema dos letramentos está diretamente relacionado a questões de inclusão e exclusão social, política, econômica e cultural. Avanços e melhorias nessa área de complexidade sistêmica se articulam a crenças sobre conceitos de linguagem, de ser professor e aluno, da escola enquanto agência de letramento, e aos processos de ensinar/aprender línguas. Um destaque deste livro organizado pela professora Mariney Pereira Conceição é a interface entre as crenças de aprendizagem de línguas e a perspectiva situada dos letramentos. Neste sentido, os artigos que compõem este livro nos mostram relações diversas entre as crenças de atores envolvidos no ensino/aprendizagem de línguas e como estas influenciam e se inserem em práticas sociais de produção e recepção de textos em contextos os mais diversos.

Gêneros na prática pedagógica: diálogos entre escolas universidades

Autores: Wagner Rodrigues Silva; Paulo da Silva Lima; Tânia Maria Moreira.

Editora: Pontes.

Sinopse: A presente obra aborda processos de ensino-aprendizagem de gêneros textuais/discursivos no contexto educacional brasileiro. Os autores analisam experiências pedagógicas bem sucedidas em sala de aula, além de abrirem espaço para o protagonismo de professores da Educação Básica relatarem criticamente sua própria prática docente, com base em teorias e metodologias, antes restritas ao contexto universitário. No livro, são apresentados resultados de pesquisas desenvolvidas no mestrado profissional em letras de universidades brasileiras, evidenciando as relações entre teoria e prática e o diálogo entre as escolas e as universidades.

Planejamento de cursos de línguas: traçando rotas, explorando caminhos

Autores: Rita de Cássia Barbirato; Vera Lucia Teixeira da Silva (Orgs.).

Editora: Pontes.

Sinopse: Planejamento de cursos de línguas é um livro cujo título aciona a metáfora “planejar é uma viagem.” Ao conceituar planejamento com a metáfora da viagem, as organizadoras escolhem como subtítulo duas outras metáforas associadas a essa mais geral: Traçar rotas e explorar caminhos. Com o uso do plural em rotas e caminhos, elas assinalam para o leitor que o que ele vai encontrar no livro não é uma passagem comprada com destino pré-escolhido, mas relatos de pesquisa e experiências que podem facilitar o seu caminhar de professor interessado no planejamento do ensino de línguas. Assim, as possibilidades de uso deste livro são ilimitadas, especialmente, se o leitor se propuser traçar suas próprias rotas e explorar caminhos menos previsíveis, aceitando desafios e oportunidades de enriquecer sua prática no ensino de línguas.

Interação e Aquisição na Aula de Língua Estrangeira

Autores: Rita de Cássia Barbirato; José Carlos Paes de Almeida Filho (Organizadores).

Editora: Pontes.

Sinopse: Esta obra que vem preencher uma lacuna editorial nessa área de estudos, é composta por sete capítulos e reúne, como autores convidados, um grupo seleto de pesquisadores que também têm se dedicado, em suas instituições, à investigação de como se dá a (co)construção de competências na aula de línguas, com especial enfoque nas interações. Além de apresentar e discutir diferentes perspectivas teóricas nas pesquisas sobre interação e aquisição de língua estrangeira, os organizadores se ocupam de apresentar e discutir os diferentes tipos de interação construídos nas práticas docentes, com foco especial na interação implicitadora, um dos eixos organizadores do volume.

Tendências e desafios na formação de professores de línguas no século XXI

Autores: Maria Antonieta Alba Celani (Organizadora).

Editora: Pontes.

Sinopse: Este livro, resultado do Congresso Latino-americano de For­mação de Professores de Línguas, III CLAFPL, realizado em 2010 na Universidade de Taubaté, SP, com o tema que dá título a este livro, tem várias razões para ser um livro muito especial: o CLAFPL estava se formando, tendo já realizado dois encontros, um em Florianópolis e outro na PUC do Rio de Janeiro. Havia um grande interesse na formação contínua de professores, particular­mente de professores de línguas, como nossa sigla indica.

Faça a diferença: ensinar línguas estrangeiras na educação básica

Autores: Alex Garcia da Cunha e Laura Miccoli [orgs.]

Editora: Parábola

Sinopse: Esse livro foi organizado especialmente para professores e professoras de língua estrangeira dos ensinos fundamental e médio, com o objetivo de contribuir para o aprimoramento do ensino comunicativo de línguas na escola regular, viabilizando uma aprendizagem efetiva. Como resultado de suas pesquisas e experiências práticas em sala de aula, os autores oferecem capítulos que levam em consideração a realidade educacional atual e propõem sugestões que, com as adaptações necessárias aos diversos contextos de ensino, sejam verdadeiramente aplicáveis nas aulas. A obra traz ainda orientações em áreas sensíveis para os professores de línguas, desafiadoras para eles no cotidiano de sala de aula — o status da disciplina na escola e o uso da língua estrangeira em sala de aula.

Ensino de Gramática e desenvolvimento metalinguístico: teorias, reflexões e exercícios

Autores: Ana Flávia Herhardt

Editora: Pontes

Sinopse: A importância da metacognição e da compreensão e do conhecimento metalinguístico para o aprendizado tem sido há muito reconhecida nos estudos sobre o desenvolvimento da linguagem e da leitura e sobre o ensino-aprendizagem de línguas estrangeiras. Entretanto, até agora, no que diz respeito ao ensino-aprendizagem de língua materna, o campo da Linguística Aplicada tem negligenciado esse componente vital para o processo de aprendizado. Ana Flávia Gerhardt, em seu livro altamente original e significativo, retifica esse negligenciamento, demonstrando a relevância da consciência metalinguística para o ensino-aprendizagem e fornecendo diretrizes e atividades para a sua integração ao currículo de Língua Portuguesa como língua materna. Entretanto, a autora não restringe sua discussão à esfera da prática; ela também integra a análise acerca da metacognição a uma ampla avaliação do seu tratamento e implicações nas teorias contemporâneas das Ciências Cognitivas e da Linguística Cognitiva. A interface teoria-prática constitui a força particular deste livro, e a sua combinação de reflexão teórica e avaliação empírica rigorosa o torna uma leitura essencial para os especialistas em Linguística Aplicada, para formadores de professores e para os que frequentam as salas de aula.

O que é crítica literária?

Autores: Fabio Akcelrud Durão

Editora: Parábola

Sinopse: O ponto de interrogação no título deste livro é um sinal ambíguo, pois aquilo que ele marca dá origem a dois fenômenos bastante distintos: concebida como pergunta, “O que é a crítica literária?” exige uma resposta por meio de uma definição. A definição é boa para se decorar, ajuda a fazer uma prova, a mostrar que se sabe do que se está falando. Isso, porém, não leva longe. Uma definição não contém espaços vazios; com ela, não há muito o que fazer. Se o ponto de interrogação for entendido como questão, tudo se modifica: a questão não precisa ser unívoca, concisa, não precisa nem mesmo ter um fim. O conceito de crítica literária, neste caso, passará a abranger vários vetores distintos, linhas de desenvolvimento que se complementam e reforçam, mas que também entram em tensão e até mesmo se contradizem. O que é crítica literária? aborda a prática da crítica literária em diversos de seus aspectos, chamando a atenção para os desacordos, as contradições e as zonas de conflito nela existentes. O objetivo é chegar ao final com uma caracterização crítica da crítica nos dias de hoje, para mostrar como essa atividade tornou-se extremamente vital, um campo repleto de possibilidades, e, ao mesmo tempo, uma atividade imersa em profunda crise. Com isso, há muito que fazer.

Saussure, o texto e o discurso: cem anos de heranças e recepções

Autores: Marcio Alexandre Cruz; Carlos Piovezani; Pierre-Yves Testenoire [organizadores].

Editora: Parábola

Sinopse: Quais são as heranças deixadas pelo Curso de linguística geral, um século depois de sua publicação? Como se produziram as diversas recepções ao CLG ao longo desses cem anos? O que resta de Saussure na linguística contemporânea? Seu pensamento foi reivindicado ou rejeitado, assimilado ou ignorado pelas ciências da linguagem de nossos dias? No diversificado conjunto dessas heranças e recepções, como o pensamento de Saussure está hoje presente especificamente nas linguísticas do texto e do discurso, abordagens assentadas no frequente anúncio de uma suposta superação da linguística saussuriana? Nesta obra, o leitor encontrará respostas para essas e outras perguntas. Os capítulos foram produzidos por pesquisadores de diferentes nacionalidades, reconhecidos por sua condição de eminentes especialistas nos campos da história das ideias linguísticas, da análise do discurso, da linguística textual e da semiótica. Em cada uma dessas contribuições, há uma série de reflexões e análises originais sobre o papel desempenhado por Saussure no desenvolvimento das noções de texto e de discurso, tais como foram concebidas e modificadas no decurso desses cem anos do CLG.

O efeito Saussure: cem anos do curso de linguística geral

Autores: Carlos Alberto Faraco (Org.)

Editora: Parábola

Sinopse: Em 2016, o Curso de linguística geral, atribuído a Ferdinand de Saussure por seus organizadores, completa cem anos. Sua gênese tem sido motivo de controvérsias, mas o livro é marco fundamental do pensamento moderno. O CLG teve intensa e extensa repercussão em linguística, semiótica, teoria literária, antropologia e psicanálise. E continua repercutindo: novas linhas de pesquisa têm dado, nos últimos anos, novo impulso ao “efeito Saussure”, em especial na área da reflexão epistemológica. Para celebrar o centenário do Curso, reunimos aqui pesquisadores brasileiros que vêm se ocupando das múltiplas faces do pensamento saussuriano. O conjunto da obra cobre vários temas relacionados ao Curso: revê aspectos de sua gênese; repassa criticamente leituras estabelecidas; exercita o pressuposto de que, cem anos depois, o texto de 1916 deve continuar a ser lido, agora em articulação com os inúmeros manuscritos de Saussure.

Gramáticas brasileiras: com a palavra, os leitores

Autores: Carlos Alberto Faraco; Francisco Eduardo Vieira [organizadores].

Editora: Parábola

Sinopse: Os capítulos desta obra revelam a heterogeneidade do conjunto das gramáticas brasileiras contemporâneas do português. Se o termo “gramática”, em princípio, identifica um livro que tem como assunto uma apresentação abrangente de elementos constitutivos de uma língua ou de uma variedade dessa língua, o conteúdo de cada um dos livros analisados aqui é tão amplo e diverso que não é absurdo nos perguntarmos: o que é, afinal, uma gramática? Essa amplitude de escopo, contudo, não é obviamente um ponto negativo. Bem ao contrário. A língua é de tal modo complexa que, no seu estudo sistemático, é mais que desejável a existência de múltiplas aproximações e múltiplos enfoques. Por outro lado, pode-se reconhecer um gênero “gramática” relativamente estável nos contornos dessas publicações. Gramáticas brasileiras: com a palavra, os leitores foi feito para ser lido tanto por quem já está familiarizado com as gramáticas aqui em tela, quanto por aqueles que desconhecem esse rico e recente acervo de gramáticas. As obras aqui analisadas constituem um momento precioso não só para a gramaticografia e o ensino do português, mas principalmente para motivar um sempre necessário debate epistemológico crítico da linguística como ciência.

História sociopolítica da língua portuguesa

Autores: Carlos Alberto Faraco.

Editora: Parábola

Sinopse: São muitas as perspectivas pelas quais se pode investigar a história de uma língua. A mais comum tem sido a que procura descrever as mudanças dos diversos subsistemas que compõem sua organização estrutural — sua fonologia, sua sintaxe, sua morfossintaxe e seu léxico. Esse tipo de estudo histórico-linguístico costuma ser designado de história interna. Não é disso que tratamos neste livro. Aqui, exploramos outro tipo possível de abordagem histórica: preocupou-nos observar como a variedade linguística românica que emergiu do latim falado no noroeste da Península Ibérica — área que compreende hoje aproximadamente os territórios da Galiza e do norte de Portugal — se expandiu para o sul, ocupando toda a faixa ocidental da Península; e, posteriormente, na esteira da expansão marítima e do colonialismo português, deixou as fronteiras europeias, instalando-se na Ásia, na África e na América, e é hoje uma língua internacional. Que circunstâncias históricas favoreceram essa sucessiva expansão e que consequências sociopolíticas advieram delas? Como essa língua se tornou objeto de discursos (proféticos, inclusive) e que narrativas a vêm acompanhando ao longo de sua história? Que mitos se forjaram sobre ela e como eles persistem no tempo? São estas algumas das perguntas que tentamos responder. Esperamos que o conjunto aqui publicado contribua para uma compreensão mais detalhada de vários aspectos da história sociopolítica da língua portuguesa e para o trato dos desafios sociopolíticos que o presente e o futuro nos apresentam.

Coaching instrucional: formação continuada em ensino de línguas

Autores: Alex Garcia da Cunha.

Editora: Parábola

Sinopse: O ensino de línguas no Brasil apresenta a necessidade premente de um modelo de formação continuada em serviço que atenda às necessidades do professor e dos alunos de língua estrangeira da educação básica pública brasileira. Considerando as contribuições e limitações de alguns dos principais programas de formação continuada do país, este livro apresenta o coaching instrucional como uma abordagem promissora para a formação continuada em serviço. O coaching se fundamenta na parceria entre um profissional experiente, o coach instrucional, e um ou mais professores. O objetivo é acompanhar de perto o professor, propiciando-lhe empoderamento para que ele possa implantar, reflexiva e adequadamente, procedimentos de ensino embasados em pesquisas científicas visando à melhoria do processo de ensino/aprendizagem.

Textos multimodais: leitura e produção

Autores: Ana Elisa Ribeiro.

Editora: Parábola

Sinopse: Textos multimodΑis: leitura e produção é o resultado, bem prático, de uma pesquisa sobre textos multimodais na escola básica, especialmente no ensino médio. O que se pode esperar de alunos expostos a esses textos quase só em aulas de geografia, matemática ou outras disciplinas que lidam mais diretamente com a leitura e a produção de imagens e visualizações? Será que, ainda hoje, vale a pena pensar as aulas de língua materna exclusivamente para o trabalho com textos verbais? O que acontece quando um professor descarta fotos, ilustrações, gráficos e outros elementos de um texto originalmente composto por várias linguagens? Com exemplos e análises, este livro apresenta, de um jeito simples e leve, modos de provocar e de desenvolver a leitura e a escrita de textos multimodais, principalmente nas aulas que têm a linguagem como objeto de ensino e aprendizagem.

Tecnologias para aprender

Autores: Carla Viana Coscarelli.

Editora: Parábola

Sinopse: Como aprender usando tecnologias ou o que precisamos aprender para usar as tecnologias de maneira crítica, autônoma e cidadã. Em um sentido ou em outro, essas são possibilidades apresentadas por este livro, cujos autores vêm se dedicando ao tema do letramento digital desde que o mundo passou a se conectar via redes telemáticas. Carla Viana Coscarelli, professora e pesquisadora da UFMG, reuniu um time de especialistas para compor esta coletânea de trabalhos bem-sucedidos e interessantemente relatados aqui. São dez capítulos da autoria de pesquisadores-professores que estudam, discutem, dialogam e experimentam as possibilidades digitais que todos temos nos dias de hoje, seja na escola, seja fora dela. Desafios, possibilidades, leitura, escrita, imagens, saltos de aprendizagem, interfaces, dispositivos, experiências de interação, cidadania, formação de professores, consumo crítico, sala de aula, infância, processos editoriais, colaboração e jogos são temas que se encontram nos textos e podem ajudar o leitor a rever e a aplicar conhecimentos, teóricos e práticos, a contextos de aprendizagem, sobretudo em sala de aula.

Letramentos digitais

Autores: Gavin Dudeney; Nicky Hockly; Mark Pegrum.

Editora: Parábola

Sinopse: Esta publicação é uma ferramenta apropriada a professores e estudantes de Letras e áreas afins interessados em expandir seu entedimento dos letramentos digitais no âmbito da didática de ensino de língua e uma oportunidade imperdível de enriquecimento da prática de ensino por parte dos professores da educação básica, especialmente nos segmentos do fundamental II e do ensino médio.

Redes sociais e ensino de línguas – o que temos de aprender?

Autores: Vilson Leffa; Júlio Araújo.

Editora: Parábola

Sinopse: Será possível utilizar as redes sociais para outros fins além de comunicação, compartilhamento de informações e entretenimento? Para o ensino de línguas, por exemplo? As redes sociais facilitam ou dificultam esse ensino? As redes sociais expandem nichos que se mostram como ambientes adequados para a realização de uma diversidade de práticas discursivas. As reflexões e investigações feitas neste livro trazem três contribuições importantes para a área dos estudos da linguagem: explicar as redes sociais; mostrar como elas refletem a sociedade de onde surgem; descrever as mudanças que elas podem introduzir nessa mesma sociedade. Os capítulos evidenciam a necessidade de compreender como se dá a interação humana na virtualidade, onde tempo e espaço assumem dimensões diferentes, alterando profundamente as relações humanas, na medida em que podem, de modo simultâneo, aproximar e afastar. Se, por um lado, parecem reproduzir algo já existente, por outro, as redes sociais fazem também emergir uma realidade diferente, transformando aquilo que pensamos conhecer. As redes sociais têm profundo impacto na realidade e, por isso, temos um bom motivo para estudá-las.